brinquedos pirateados

5 riscos que brinquedos pirateados representam para o seu negócio

As vendas de brinquedos pirateados são uma atividade generalizada no Brasil e no mundo. Além de ser ilegal, essa prática representa diversas outras ameaças para a sociedade, principalmente quando trata-se de brinquedos pirateados

Para se ter uma ideia, o crescimento das vendas pela internet durante a pandemia veio acompanhado de um aumento de 10% no número de produtos falsificados apreendidos pela Receita Federal. 

De acordo com especialistas, a venda de produtos irregulares ganhou muita força graças aos marketplaces – as plataformas de e-commerce que abrem espaço para outras empresas venderem através do seu site. 

Alguns lojistas até podem ficar tentados em vender produtos falsos em seus comércios – em razão dos preços e facilidade para obter a mercadoria. Entretanto, esse tipo de produto acaba trazendo uma série de riscos, como uma experiência insatisfatória para os consumidores. 

No caso dos brinquedos pirateados, a situação pode ficar ainda mais grave quando nos colocamos no lugar dos pais, que prezam pela saúde e bem-estar de seus filhos. Os prejuízos podem ser maiores do que apenas um problema judicial…

Ainda não se convenceu de que você não pode vender brinquedos pirateados em sua loja? Nós separamos cinco riscos que seu empreendimento está correndo com a venda desse tipo de mercadoria. Acompanhe a leitura para entender melhor sobre o assunto:

Conheça os riscos de vender brinquedos piratas em sua loja infantil

#1 – Diminuição das vendas com perdas financeiras

A cada ano, cerca de R$ 20 bilhões de produtos contrabandeados entram no Brasil vindos do Paraguai. Isso equivale à 17ª maior indústria do país em vendas líquidas. 

Para se ter uma ideia, somente em 2015, o Brasil teve prejuízos de mais de R$ 115 bilhões com a pirataria – sem mapear alguns setores – de acordo com Fórum Nacional Contra Pirataria e Ilegalidade. 

Isso pode ser um grande problema para sua loja que vende brinquedos pirateados. Afinal, as empresas de outros segmentos perdem quantias consideráveis de dinheiro em razão de itens falsificados com valores inferiores aos produtos originais.

Além disso, o impacto pode ser ainda maior, já que a recuperação do capital se dificulta devido ao investimento nas mercadorias. 

#2 – Experiência insatisfatória dos consumidores

Como dito anteriormente, a experiência negativa do consumidor é um dos riscos que a pirataria oferece para o seu negócio. 

Muitas pessoas não possuem conhecimento a respeito dos próprios produtos que compram. Em muitos casos, o consumidor acaba levando algo pirata acreditando que seja um original. 

Em decorrência disso, a experiência insatisfatória no uso das mercadorias não identificadas como piratas acaba gerando a impressão de que a empresa é ruim. Esse “marketing negativo” em relação aos produtos e serviços atinge diretamente as vendas. 

Isso porque os clientes afetados com a baixa qualidade dos produtos infantis não voltam a fazer negócio novamente com o empreendimento. Podendo gerar comentários negativos nas redes sociais e outros canais onde a empresa atua. 

#3 – Saúde em risco

Produtos piratas causam danos à saúde, além de colocarem em risco a segurança de quem os consome. Você sabia que existem até mesmo remédios falsificados que podem causar sérios problemas à vida do consumidor?

Com os brinquedos pirateados o problema não é diferente. Essas mercadorias possuem detalhes que não foram aprovados pelo INMETRO (Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia). 

Sendo assim, quando o brinquedo é pirata, ele não atende os requisitos mínimos de segurança e qualidade. Isso significa peças soltas que os pequenos podem engolir, tintas que saem com facilidade e podem ser tóxicas, objetos cortantes e muito mais. 

Além de ser uma prática ilegal, a venda de brinquedos pirateados coloca a vida das crianças em risco. Pense bem aonde tudo isso pode parar! 

#4 – Problemas judiciais

O quarto risco está relacionado ao uso de brinquedos pirateados em seus processos judiciais com outras empresas. 

É preciso evitar que sua empresa também seja conivente com a venda de produtos falsificados ou, especialmente, com o uso de documentos não licenciados. Esse segundo ponto é algo comum em muitos negócios que não dão a devida atenção à área jurídica e não têm uma eficiente gestão de contratos.

A prática pode gerar processos judiciais extensos por violação de direitos. Isso sem falar nas multas altíssimas que seu negócio pode tomar. 

#5 – É crime!

É preciso entender que, ao vender brinquedos pirateados, você está incentivando o crime organizado. Outro ponto é que isso é algo desleal tanto para você quanto para outros empreendimentos. 

Afinal, o produto pirata não é apenas um produto falsificado – mas algo que envolve outros setores do mercado e que prejudica o desenvolvimento econômico, podendo gerar grandes rombos na economia. 

Vale lembrar que obras sociais acabam perdendo investimentos, devido à sonegação de impostos. E o meio ambiente pode ser prejudicado devido à falta das normas que o protegem. 

Sem dúvidas, problemas enormes para toda a indústria. 

Como vencer essa concorrência desleal

Para você que vende produtos originais em sua loja infantil, anote essas dicas e saiba como fugir dos problemas causados pela pirataria:

  • Faça o cliente entender que o brinquedo pirateado causa riscos à saúde;
  • Converse sobre segurança com os pais das crianças;
  • Relate acidentes que podem acontecer;
  • Explique a garantia de troca;
  • Trabalhe com bons fornecedores;
  • Mantenha o portfólio sempre atualizado com produtos originais. 

Agora que você já sabe tudo sobre brinquedos pirateados e seus riscos, aproveite para adicionar em seu catálogo os brinquedos diferentes da Angie Care. Os nossos brinquedos educativos fazem o maior sucesso com a molecada, podendo gerar ótimas vendas para sua loja infantil. 

Conte com a gente para passar bem longe de brinquedos pirateados.

Comentários

Facebook
LinkedIn
WhatsApp